5 usos para os Drones na agricultura de precisão hoje

Muito já se ouviu falar do uso de Drones nas plantações, mas seu uso está apenas começando na agricultura Brasileira, por diversas razões. A primeira delas, legislação, cujo empenho da ANAC têm-se verificado nos últimos anos para acompanhar a crescente evolução dos Drones.

Ainda assim, hoje já é possível encontrar em vários locais no país pessoas que estão trabalhando para melhorar a nossa agricultura.

Eis abaixo os 5 usos mais comuns de Drones na lavoura:

#1 – Monitoração de saúde da plantação em meia temporada

É a capacidade de inspecionar as culturas em andamento do alto utilizando o Índice de Diferença Normalizada da Vegetação (NDVI) ou do sensor de infravermelho próximo (NIR) é, até agora, o #1 para uso de drones na agricultura. Uma tarefa que tradicionalmente era realizada por estagiários universitários muitas vezes relutantes em colocar o pé no campo com um bloco de notas na mão. Agora os Drones permitem a cobertura de mais hectares, bem como a captura de dados que não podem ser vistos pelo olho humano (infra-vermelho próximo – NDVI). Além disso, ele remove a maior parte do aspecto do erro humano, apesar de existir a preocupação de inspeção constante das áreas, ver algumas imagens ainda é recomendado.

 

#2 – Monitoração do equipamento de irrigação

O gerenciamento de vários pivôs de irrigação, bem…. você sabe, …é uma dor de cabeça. Especialmente para grandes produtores que possuem muitos campos espalhados em várias regiões ou municípios. Uma vez que culturas como o milho começam a atingir determinada altura, as inspeções de meia temporada dos bicos aspersores e dos equipamentos de irrigação que entregam a água é extremamente necessária.

milho-colheita

#3 – Identificar erva daninha no meio da plantação

Utilizando dados do sensor de NDVI e processamento de imagem pós-voo para criar um mapa de ervas daninhas, os produtores e seus agrônomos podem facilmente diferenciar áreas de alta intensidade de proliferação de ervas daninhas das lavouras saudáveis que crescem lado a lado com eles. Historicamente, muitos produtores não percebem como o problema de ervas daninhas se iniciou até a época da colheira.

#4 – Taxa variável de fertilidade

Embora muitos argumentem que o imageamento terrestre ou por satélite, juntamente com um programa dedicado de análise de solo são mais práticos para efeitos de refino e aplicações na agricultura do nitrogênio, fósforo e potássio, os Drones têm o seu lugar. Empresas hoje como a MultiDrones, utilizam mapas para dirigir as aplicações de fertilizantes com auxílio do NDVI na temporada de milho e de outras culturas. Ao utilizar a aplicação por taxa variável gerada por um Drone, que mapeia e determina a força de absorção de nutrientes dentro de um único campo, permitindo ao agriculturar diferenciar a aplicação, por exemplo, em áreas fracas aplicar $60 de fertilizante, em áreas médias $50 e em áreas saudáveis $40, reduzindo significativamente os custos de fertilizantes reforçando os rendimentos na hora da colheita.

#5 – Monitoração do rebalho de gado

Muitos produtores durante os dias de depressão dos preços das commodities no final dos anos 90 e início dos anos 2000, chamou a atenção a fim de diversificar suas fazendas de gado, adicionando operações de suínos. Drones são uma opção sólida para o acompanhamento efetivos das despesas gerais, acompanham a quantidade e o nível de atividade dos animais em sua propriedade. E eles são especialmente úteis para o monitoramento noturno devido à incapacidade do olho humano de enxergar no escuro.

Publicado em: Multidrones

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *